Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Espaço Cegonha

por A Pipoca Mais Doce, em 23.04.13

Ainda mal eu tinha dito que estava grávida e já me estavam a perguntar "então e aulas de preparação para o parto? Já te inscreveste? Tens de te inscrever, é muito importante!". Eu sei, eu sei. Eu também acho que é muito importante, sobretudo para mim, que não cresci rodeada de crianças e, por isso mesmo, percebo tanto do assunto como da plantação de batata doce. Sempre soube que ia fazer o curso, mas achei que não valia a pena estar a inscrever-me logo aos dois meses de gravidez, porque quando a criança nascesse já não me ia lembrar de nada. Mas agora já está: inscrição feita e curso a começar já para a semana. Fui perguntando a amigas, recolhendo informações na net e acabei por optar pelo Espaço Cegonha, ali no Saldanha. É central e pareceu-me ter tudo aquilo que preciso: enfermeiras especialistas em saúda materna (quase todas da Maternidade Alfredo da Costa) que percebem do assunto e que têm uma paciência de santo, cursos com poucos casais e um acompanhamento personalizado de cada grávida. Sendo eu uma pessoa com tendências hipocondríacas e com todo um rol de dúvidas, fiquei muito contente quando fiz a primeira visita ao Espaço Cegonha e as enfermeiras foram logo todas umas fofinhas e me explicaram tudo e mais alguma coisa. Vim logo de lá com um número de assistência 24 horas, que ainda não usei (controla-te, mulher, controla-te), mas que me dá alguma tranquilidade. É bom saber que há alguém neste mundo com disponibilidade para aturar as minhas crises, seja a que horas for!

 

 

Para além do curso de preparação para o parto propriamente dito, o Espaço Cegonha disponibiliza outros serviços complementares e que foram determinantes na hora da escolha:  serviço ao domicílio (como vistas SOS no pós-parto para apoio à amamentação ou para se tentar perceber porque raio é que o miúdo está a chorar desta vez), a disponibilização de um CTG, consultas de psicologia, fisioterapia ou nutrição, cursos de massagem do bebé, vários workshops, etc, etc.

 

Quando andava na fase de pesquisa algumas pessoas foram-me avisando para o facto de haver espaços extremamente fundamentalistas e quase nazis no que diz respeito a alguns assuntos, como a amamentação ou o tipo de parto. Há várias coisas que eu ainda não decidi, mas gostava de não ir fazer o curso num sítio onde os instrutores me olhassem de lado e tivessem vontade de me apedrejar quando dissesse coisas como "ainda não sei bem se não prefiro uma cesariana". Repito, ainda não decidi nada (não comecem já a ficar com os nervos em franja), ainda tenho vários campos em aberto no que toca a uma data de coisas, mas não tenho paciência para posições extremistas, menos ainda para julgamentos de valor. Expus esta minha preocupação na primeira visita ao Espaço Cegonha, e foi-me garantido que ali há total liberdade para explanar ideias e debater, sem que nos tentem formatar o pensamento (bom, haverá sempre outros pais mais obcecadinhos, mas pronto, é a vida, estou pronta para a luta). Vou de espírito aberto e sei que serei recebida da mesma forma, o que é um grande descanso. 

 

Quando as aulas começarem logo vos irei pondo a par dos temas debatidos. Entretanto, e caso queiram mais informações sobre o Espaço Cegonha, é só irem aqui: www.espacocegonha.com

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:24


57 comentários

De Nanda a 23.04.2013 às 15:02

Pipoca eu não sei como é um parto normal porque o meu foi cesariana mas posso dizer-lhe que a recuperação é muito difícil, a cicatriz é o menos porque nem se vê...mas imagine-se a tomar conta de um bebé enquanto está a recuperar de uma operação, cheia de dores...quando mal consegue andar! Muito difícil.
O que ajuda mesmo muito a recuperar a forma é a amamentação. Não é fácil amamentar e, eu não julgo quem opta por não o fazer, cada um sabe de si...a mim apeteceu-me desistir no primeiro mês por causa das dores, das gretas mas...insisti e, agora, passados quase 4 meses já é muito fácil e bom!

De Nanda a 23.04.2013 às 15:04

O curso de preparação para o parto é fundamental! Para mim foi! Tal como as aulas de recuperação do parto. Aconselho!

De marisa a 23.04.2013 às 16:18

Eu Tive a minha bebe de cesariana por opção minha, e foi a melhor coisa que fiz, não sei o que são dores de parto nem contrações nem coisa nenhuma, recuperação ótima e sem dores .
São opções e se voltar a ter outro bebe é cesariana .

De Ana a 23.04.2013 às 16:21

Tal como em todas as situações, cada caso é um caso.
Fiz preparação para o parto, no centro de saúde, porque era o mais próximo da minha casa (moro na província) e depois do nascimento seria o mais prático. Adorei, a enfermeira era uma querida e explicava tudo. Ainda hoje (passado quase 1 ano) em caso de SOS ligo para ela.
Ía preparadíssima (achava eu) para o parto normal... sabia a lenga lenga toda!!!
Quando cheguei ao Hospital da Luz... passadas algumas horas... concluiu-se que tínhamos que optar por cesariana. Fiquei um bocado em pânico porque nunca me tinha passado essa ideia pela cabeça. Afinal era uma operação, e como iria ser, e queria mesmo era parir o meu filho, etc, etc, etc.
Conclusão: correu tudo bem e a recuperação foi fantástica. Só me custou tratar dele na 1ª noite pois temos que esperar 12 horas para levantar. Tinha que tocar à campainha para pedir para colocarem o bebé na minha cama para amamentar, ou quando ele chorava... a partir do dia seguinte já conseguia tratar dele sozinha na perfeição e sem dores (tomei comprimido para as dores durante 3 dias apenas e depois deixei-os de lado).
Espero que este testamento seja útil. Nestas coisas mais vale irmos pelas nossas cabeças, mas ter a noção de que cada caso é um caso...
Tudo de bom!

De Maria a 23.04.2013 às 16:59

Nestas coisas da gravidez cada cabeça sua sentença. Ouça as opiniões mas faça o que achar melhor.
Eu tive 2 filhos, ambos por parto normal, daqueles que correram bem, nasceram quando quizeram, levei epidural, não tive grandes dores, ao contrário do que dizem foi pior o segundo do que a primeira, mas correu tudo muito bem, boa recuperação, algumas dores, mas nada de especial.

No meu primeiro parto só liguei à minha médica depois da minha filha nascer.

Quanto à amamentação também correu muito bem, algumas dores, mas controláveis, ao fim de uma semana já só acordavam 1 vez a meio da noite, nunca dei suplemento, enfim sem problemas.

Sinceramente acho que ajuda muito ser descontraída, há realmente situações complicadas, mas na maioria dos casos é exagero das mães. Resolva o que acha que é melhor para si e o que a deixa mais descontraída e não se esqueça que o melhor para os nossos filhos é nós estarmos felizes e descontraídas. Boa sorte e que tudo corra bem.

De anonimo a 23.04.2013 às 20:34

onde nasceram?

De Maria a 06.05.2013 às 15:52

Na Estefânia.

De ... a 23.04.2013 às 17:09

é apenas mais uma opinião. Ninguém lhe pode garantir qual o melhor parto para si até ao momento em que já estiver em trabalho de parto ou mesmo só quando tiver o bebé cá fora. Eu, sem ser fundamentalista, sou muito otimista, e quis tentar parto normal...por sorte/azar, o meu médico é conhecido lá no hospital dele por ser o que menos cesarianas faz. Claro..antes de ter vivido o trauma que vivi queria a todo o custo acreditar nas frases feitas, algumas pelos próprios obstetras, de que "todos os bebés são compatíveis com os corpos das maes", "de que o nosso corpo" bla bla bla...nada me serviu. Sofri imenso, muitas horas mesmo, mas se tudo era dificilmente suportavel, a enorme e longa parte expulsiva faz-me ainda hoje tremer (há quem ache que as epidurais resultam sempre..mas não, e ninguém fala de coisas como incontinencia retal por forceps, fissuras anais da força no momento expulsivo, e outras coisas fofinhas!!). Fiquei sem caminhar 3 dias..sem caminhar. Lembro-me de ter visitado uma colega que fez cesariana, passado 15 horas do parto dela, e já andava em pé com a filha ao colo. Achei estranhissimo, mas felizmente vi ao vivo para ter a certeza! Algo que achei otimo foi ter acompanhado um grupo de cerca de 40 gravidas para o mesmo mês, não apenas online, acabamos por marcar encontros, visitar-nos umas às outras, deu-me a melhor perspetiva de que não há leis universais e ninguém que fez cesariana ficou tão mal quanto eu.

Claro, haverá histórias de cesarianas com recuperações terríveis, assim como há a minha em que o parto normal que tanto desejei e vivi, fez-me ter a certeza que o adjetivo "normal" não foi de todo bem escolhido para nomear qualquer tipo de parto vaginal.

Deixe aproximar o dia, ver se entra em TP espontaneamente ou não, com quantas semanas, e como está a reagir às dores do periodo de dilatação e quão rapido está a ser. Mas se vacilar, esqueça as frases feitas dos fundamentalistas do parto "normal". Acredite...nesta situação, eu preferia de certeza ter-me arrependendido do que não fiz (caso tivesse pedido cesariana e ficasse a pensar como teria sido o normal), do que do que fiz...contrariamente às prioridades de arrependimento que se costumam defender.

Há quem morresse de medo do parto, chegue lá e em poucas horas, sem sofrer, tenha o bebé no colo...mas infelizmente só o saberemos depois de experimentar, eu preferia não ter tido a experiência. Mas quem sabe, a si até correrá muito bem :) desejo-lhe o melhor, mas acima de tudo que não se deixe influenciar por quem a rodeia, porque acredite que é muito mais agradavel levar com meio mundo a atirar-nos à cara que fomos isto e aquilo, e inclusive, que escolhemos o "melhor para nos mas nao para os nossos filhos", do que ficar como eu fiquei.

Também fiz curso PPP. Exatamente por ser uma bebé-excluida, achei importante ter feito. No entanto, talvez por ter calhado no meio de fundamentalistas, ou de me ter saído um bebé excecionalmente terrível, senti que não aprendi nada de util, apenas coisas cliché para me sentir pior ainda quando nada resultava, quer no parto, quer na amamentaçao, quer com o bebé.

Tudo de bom.

De Anónimo a 24.04.2013 às 15:04

Excelente comentario, senti exactamente o mesmo, foi bom fazer o curso mas na pratica não me serviu para nada, só para me encher a cabeça de macaquinhos em relação á amamentação, tanto fundamentalismo resultou quase numa depressão pós-parto. Ás vezes acho que a ignorância é uma benção!

De acmsp a 23.04.2013 às 17:36

Eu sempre quis cesariana, mas como ñ podia escolher mentalizei-me para o parto normal...mas no fim foi cesariana mesmo pk o bebé estava pélvico...a mim a recuperação não custou nadinha. :)

De Joana Freitas a 23.04.2013 às 18:16

"ainda não sei bem se não prefiro uma cesariana"
Pipoca, a cesariana não deve ser nunca uma escolha, porque este acto cirúrgico é um recurso ao parto normal. Neste país faz-se demasiadas cesarianas a pedidos das parturientes o que não se entende.

De Ines a 24.04.2013 às 10:58

Concordo totalmente. A cesariana e uma operacao, com riscos para o bebe e para a Mae. Ha imensos estudos que falam sobre isso. Deve ser guardada para situacoes de emergencia. Nao peecebo como se opta por uma operacao desnecessaria.

De Daniela a 24.04.2013 às 21:38

A cesariana, apesar de ser uma cirurgia, tem os riscos controlados. Os médicos sabem exactamente onde devem efectuar as incisões e como devem "tratar" alguma coisa fora do normal.
Num parto normal, além do que pode acontecer à mãe, os cortes, os rasgões, enfim toda a panóplia de situações, ainda há o retirar a criança com ventosas, com forceps e por ai fora. Conclusão: Nada está controlado.
Cada mãe deve ter o direito de escolher aquilo que acha que é melhor para ela e para o bebé que vai nascer, como acontece nos países civilizados.

De Rita a 25.04.2013 às 21:52

Tudo podeacontecer. Na cesariana também. O meu 3 filho nasceu de cesariana, com ventosa. Pois...

De Sara Mauricio a 23.04.2013 às 18:18

Pipoca, eu tive a minha filha há 4 meses por cesariana (embora gostasse que tivesse sido parto normal, sobretudo para o Pai ter podido assistir) e posso dizer que a recuperação foi boa, nada dramática. O único percalço foi que me entrou ar para o organismo, o que me causou dores bastante fortes na zona torácica nas primeiras duas semanas, sendo que a médica me disse que esta situação é bastante comum, embora eu nunca tivesse ouvido falar de tal coisa. Quanto às aulas de preparação para o parto, tirei o curso no Centro de Saúde da Lapa e achei bastante útil. Adorei a equipa formadora e os colegas eram uns queridos. Também organizam cursos pós-parto e a enfermeira está disponível para o acompanhamento domiciliar. E tudo isto grátis, sendo pois um bom exemplo de um excelente serviço do nosso Sistema Nacional de Saúde. Beijinhos e felicidades

De Diana a 23.04.2013 às 18:37

Não tenho nada contra quem opta por cesariana.... Mas tive um parto normal e do 2º uma cesariana porque o bebé não deu a volta e digo sempre que prefiro mais dez partos normais do que uma cesariana. Custou-me horrores a recuperação, infeccionaram 2 pontos, fiquei com uma barriga de 9 meses durante imenso tempo. No hospital só consegui fazer o levante à 3ª tentativa, as outras duas desmaiei assim que me coloquei na vertical... ai que nem é bom lembrar. Só fiquei fina 1 mês depois! Custa muito estar convalescida e ter de cuidar de um recém nascido. Pense muito bem!
O meu parto normal não foi fácil, 12h em trabalho de parto, mas a epidural ajuda, e o pós foi fantástico. 1 semana depois já estava como se nada fosse, perdi 70% da barriga em pouco tempo, levei 3 pontinhos lá em baixo que nem dei por eles!
Enfim, claro que cada caso é um caso, mas este é o meu.

De Someone... a 23.04.2013 às 18:37

Pipoca,

Também frequentei aulas de preparação para o parto durante a primeira gravidez, mas o meu filho nasceu de cesariana porque o trabalho de parto não progrediu (muitas contracções, ausência de dilatação).
Para o segundo fui eu mesma que decidi optar pela cesariana! Uma maravilha! Horinha marcada, tudo controlado, o bébé sai direitinho, não sai "esborrachado", não houve contratempos. Sou uma fã absoluta da cesariana.

A recuperação certamente varia de pessoa para pessoa mas não é aquilo que se tem o hábito de pintar... Achei mas custoso o processo da "descida do leite".

Opte pelo que optar, o que interessa é ter confiança na equipa que a vai rodear e estar confortável com as escolhas que fez (é um acto tão pessoal e íntimo que só mesmo à parturiente diz respeito; não se vai optar pelo método A ou B para fazer o agrado a alguém.)

Felicidades!

De anonimo a 23.04.2013 às 20:45

onde nasceram?

De Someone... a 24.04.2013 às 10:42

Ambos os partos foram num hospital privado. Aliás, para ser uma cesariana electiva só mesmo no privado.

De Liliana a 24.04.2013 às 23:11

Eu tive 2 cesarianas electivas, por razôes diferentes. Ambas num hospital público, a minha gin/obs faz consultas no privado mas SÓ faz partos no público.

Comentar post


Pág. 1/4






Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D