Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



AVENTuras da Mamã #4

por A Pipoca Mais Doce, em 08.07.13

A um mês e tal de ter o miúdo cá fora, começo a olhar para a casa com outros olhos. Basicamente, acho que é um poço de perigos. Para cada canto que olho só vejo perigos e mais perigos. São os cantos bicudos das mesas, são as janelas e varandas, são as portas dos armários, são as torneiras, são as gavetas, são os detergentes... Enfim, é tudo. Decididamente, a minha casa não é nada baby friendly. Eu sei que, ao início, o puto é tipo planta num vaso, limita-se a ser transportado para aqui e para ali, sem grande interacção, mas num instante cresce e começa a fazer asneiras. E, mesmo antes disso, passamos por uma fase absolutamente espectacular para uma mãe neurótica, que é garantir que não lhe acontece nada quando ele é incapaz de se manifestar e dizer o que lhe vai na alma. Eu nem quero pensar nas noites. Ao começo ainda vá, quando o berço ficar no nosso quarto. Mas mesmo aí tenho para mim que vou ser uma daquelas neuróticas que, de hora a hora, está a encostar um espelho ao nariz da criança para ver se ele ainda respira. Mas e depois? Quando ele se puser a andar (ou melhor, quando for posto a andar) para o quarto dele? Como é que me vou assegurar de que está bem e vivinho da silva? Acho que vou adiar esse momento até o miúdo ter 15 anos… Por vicissitudes da vida (ou por culpa da arquitectura do apartamento), o quarto dele não fica mesmo ao lado do nosso. Aliás, fica quase na outra ponta da casa que, não sendo um palácio de 10.000 m2, ainda tem um corredor grandinho a separar-nos. E se eu não o ouço? E se ele se engasga e eu estou a roncar que nem um porco? E se ele fica meia hora a chorar e eu nada? E se sufoca? E se começa a arder em febre? E se, e se, e se? Oh, meu Deeeus! Claro que já andei a ler sobre o síndrome de morte súbita e tenho pesadelos com isso. Será que nunca mais na vida vou dormir sossegada? Será que vou passar as noites dos próximos anos a fazer piscinas entre quartos, só para garantir que está tudo bem? Ou será que me vou mudar para o quarto do miúdo, ponho um colchãozinho no chão e fico lá de guarda ao berço, tipo cão de fila? Depois venham-me cá dizer que isto de ser mãe não tem nada que saber! Para já, para já, a única coisa que me tranquiliza é saber que existem aparelhómetros que nos ajudam a controlar os miúdos, do género “big brother is watching you”. Neste caso, big mother. Gosto da ideia de ter aparelhos de som e imagem que registam tudo o que os putos fazem e que nos dão algum sossego. Andei a pesquisar a oferta da Philips AVENT nesta matéria e cheguei à conclusão de que preciso de TUDO. A saber:

 

 

Intercomunicador para bebés:
O Intercomunicador Philips Avent SCD505, entre outras coisas pralá de boas, vem dotado com a tecnologia que garante um som cristalino e com zero interferências (ninguém quer confundir o choro do bebé com ruídos esquisitos), 100% de privacidade, e não necessita de qualquer tipo de instalação. É ligar e pronto, perfeito para quem, como eu, não se dá particularmente bem com fios e cenas complicadas. Tem também um modo de poupança de energia ECO e um alcance até 330 metros (está óptimo lá para casa). O intercomunicador inclui ainda uma luz de presença e várias canções de embalar. Maravilhoso!

 

(preço recomendado 99,90€)

 

Intercomunicador de vídeo digital para bebés

Sou honesta. A opção áudio parece-me bastante simpática, mas sou um bocadinho como S. Tomé: ver para crer. Assim sendo, os intercomunicadores de vídeo são, sem dúvida, a melhor opção para mim. Ouvir o puto é importante, mas ter os olhos em cima dele é ainda melhor. O intercomunicador Philips Avent SCD610 tem ecrã a cores de 2,4 polegadas (6,10cm), de alta resolução, visão nocturna por infravermelhos, que se liga automaticamente assim que fica escuro (eu avisei que isto era mesmo como o Big Brother), um alcance até 150 metros, luz de presença e canções de embalar. A unidade do bebé é fixa na parede, a dos pais é móvel (pode ser presa ao cinto ou posta num fio de pescoço), para que não percam nada!

 

 

(Preço recomendado: 241,50€)


Sinceramente, saber que estas opções estão disponíveis no mercado tranquiliza-me um bocadinho. Acho que são óptimas para evitar que os pais entrem numa espiral de loucura e obsessão que me parece um bocadinho inevitável, sobretudo com um primeiro filho. Eu juro que não quero ser uma maluquinha da segurança, mas também acho que não se pode facilitar. E, nestas coisas, mais vale pecar por excesso do que por defeito. Lamento, Mateus, mas nos primeiros tempos não vais ter assim grande privacidade. Vou estar sempre de olho em ti, meu menino, a controlar cada ruído e cada movimento teu. E dá-te por feliz se eu só usar estes aparelhinhos nos teus primeiros anos de vida. Conhecendo-me como me conheço, a minha vontade vai ser ter sempre uma câmara atrás de ti, pelo menos até aos 35!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30


43 comentários

De Ana a 08.07.2013 às 14:02

Os meus têm 12 e 15 anos e já que (já) não os posso controlar com uma câmera dei um iPhone a cada um e controlo-os através do Find My Phone...sem que eles sonhem claro está ;) É tudo muito giro mas eu cá gosto seeeempre de saber exactamente onde eles estão!

De Patricia a 08.07.2013 às 15:14


Meu Deus.... ao que isto chegou....

De Sofia a 08.07.2013 às 16:04

Isso é doentio... Não confia nos próprios filhos? É que se não confia, andou a falhar na educação que lhes deu

De A Pipoca Mais Doce a 09.07.2013 às 13:04

Não me parece que tenha alguma coisa a ver com confiança e, muito menos, com educação. Acho uma medida de precaução igual a tantas outras. Por mais certinhos e fiáveis que os miúdos sejam, que ninguém se iluda: há sempre este ou aquele momento em que vão dizer que estão num sítio e, afinal, vai-se a ver e estão noutro.

De Anónimo a 09.07.2013 às 14:18

Pipoca, apesar de concordar que essa história de confiar nos filhos e achar que eles não andarão a cometer erros sozinhos nas costas dos pais e tal é tudo treta (afinal já todos fomos adolescentes e mesmo com a melhor educação e o maior amor todos cometemos erros, faz parte do crescimento), mas quer dizer... iPhones? Para crianças? Andar obsessivamente a controlar-lhes os passos? Isso não é saudável para nenhum dos intervenientes, credo. O trabalho de um pai é garantir uma liberdade condicionada a um filho menor, de maneira a orientar da melhor maneira possível as suas decisões, decisões essas que a cada ano que passa, saudavelmente, serão mais autónomas e menos influenciáveis por terceiros (incluindo nestes os pais).

De Maria Joao a 09.07.2013 às 14:32

A mim já me parece roçar o doentio controlar onde um filho de 15 anos está (sem ofensa, mas não sei expô-lo de outra maneira). Nessa idade não tem qualquer razão de ser controlar onde os filhos estão : vão cair ao chão ? vão chorar? sufocar? Se precisarem da ajuda da mãe ligam!

E isso de dizerem que estão num sitio e estarem noutro faz parte da adolescencia de qualquer pessoa "normal", todos o fizemos e não e por isso que aconteceu alguma coisa de grave. Depois disto o passo seguinte é por uma tecnologia qualquer no marido para o controlar também!

De Anónimo a 09.07.2013 às 17:07

E não é normal? Não se passou consigo e com todos nós? tentar controlar tudo só piora!

De Sofia a 09.07.2013 às 22:35

Pipoca, com 15 anos um adolescente, com a educação e formação correcta, é um ser humano responsável. Não quer dizer que seja santo, que não minta de todo aos pais. Todos nós já tivemos essa idade, todos nós já fizemos as nossas asneiras, faz parte da idade. A questão é que isso não é motivo para controlar doentiamente um filho, ao ponto de lhe dar um iphone só para saber exactamente onde ele está. Estão com medo de quê exactamente? Se confiam na educação que deram ao filho, confiarão que ele não fará nada de tão grave que justifique esse tipo de controle.

De Diana a 08.07.2013 às 22:31

Que medo! E ainda acha super giro. Ele há coisas!

De Anónimo a 09.07.2013 às 00:34

Parece-me que começa logo mal a dar um iPhone a uma criança de 12 anos... E se a de 15 aceito que tenha tlm, não me parece que seja o mais adequado/necessário à idade.
O resto nem merece comentário, acho que não tem direito de os controlar assim (ok, venham os argumentos se for raptado posso salvá-lo), mas pense que se eles descobrem poderão não voltar a ter a mesma confiança em si. Ao mesmo tempo, espero que não lhes omita isso para sempre...

De Anónimo a 09.07.2013 às 13:58

Eu tive o meu primeiro telemóvel por volta dos 16, mas tenho 28 anos e na altura não se tinha dado o boom que se tem visto nos últimos anos. acho bom os miúdos terem telemóvel, não podemos fingir que quem não tiver um neste momento não existe. no meu tempo é que vivíamos no mundo real e íamos a casa uns dos outros, escrevíamos cartas durante o tempo de aulas e no verão, agora tudo mudou. mas se acho que aos 12 anos é preciso ter um iphone? não, não acho. mas conheço miúdos que têm tablets e iphones desde os dez, onze anos. tem a ver com o bolso de cada pai, mais do que com as necessidades dos miúdos, na verdade, porque há telemóveis de todos os preços. se ter um telemóvel de 600 euro na mãos nos ensina alguma coisa sobre ser-se responsável? duvido, a menos que tenha sido comprado com o dinheiro da mesada, o que acho difícil. claro que o que mais acontece é os miúdos dizerem que estão num sítio quando estão noutro, e se é verdade que podem acontecer tragédias ou problemas nesses momentos, a verdade é que a vida, as coisas divertidas e emocionantes também acontecem nessas alturas. não vamos perder a cabeça e tornarmo-nos uns maluquinhos da vigilância, porque se tiver de acontecer acontece. os telemóveis desligam-se, estragam-se e perdem-se. e posso deixar o telemóvel em casa de uma amiga e ir para casa do namorado, não se iludam. que saudades de baldar-me a aulas para ir para casa de uma amiga ver filmes e jogar playstation, ou não ter aulas e ir para biblioteca ou para um café conversar. acho que quem tem filhos deve relembrá-los do prazer de conversar, de estar, simplesmente, a passear, a comer, a viver sem estar sempre a olhar para o telemóvel, aliás, sem sequer nos lembrarmos de que o temos. se formos mães e pais corujas só os estaremos a viciar mais nisso. claro que quando o pequeno mateus tiver idade para ter telemóvel ainda estaremos mais viciados e embrenhados em tecnologia, mas a nossa memória e conhecimento de um tempo anterior só poderá equilibrar as coisas.

De Soneca a 09.07.2013 às 07:09

Não me quer adoptar? Adorava ter um iPhone e não me importarei nada que saiba onde estou!

De Soneca 2 a 09.07.2013 às 14:35

Adopte-m a mim tambem, se faz favor!

De Ana a 09.07.2013 às 20:52

Bem, só vos posso dizer que fiquei absolutamente atónita com os vossos comentários.
Não vou obviamente discutir o facto de ter dado um iPhone aos meus filhos. Dei porque podia e assim o entendi e ponto final.

Em segundo lugar, onde é que eu disse que os controlava obsessivamente?! Por amor de Deus senhoras, menos, muito menos! Temos (eu, o meu marido e os meua filhos) o mesmo Apple ID e uma das grandes vantagens disso é, em caso de emergência e/ou em situações especiais, termos acesso à localização uns dos outros. Onde é que está o mal nisto??
Tal como a Pipoca disse, é apenas mais uma medida de precaução como tantas outras. Tal como a pulseira que se adquire na PSP ou as varias aplicações para smartphones que existem com este único propósito e visam unicamente uma coisa: SEGURANÇA.

Deixo-vos um link de apps que visam a segurança dos filhos, para terem uma noção do que falo:

http://www.siteparaempresas.com.br/blog/?p=3050

Se isto é ser neurótica, obsessiva, obcecada, doente ou louca, pois então que eu seja isso tudo e mais alguma coisa. Mas que os meus filhos estejam em segurança tanto quanto possível.

Uma boa noite a todas.

De Sofia a 10.07.2013 às 16:33

Não disse que os controlava obcessivamente, mas deu a entender. Afinal, se é por questões de segurança qual é o mal deles saberem que os pais conseguem saber a localização do Iphone? Foi a Ana que usou a expressão controlar "sem que eles sonhem, claro está!" Como se fosse uma carta que tem na manga, pronta a usar quando o filho lhe disser que tava na biblioteca a estudar e afinal tinha ido ao centro comercial dar uma volta.

De dacidadeprocampo a 08.07.2013 às 14:21

querida, nada vai ser como dantes! Vai ser muito melhor!
Um apontamentozinho que dá um jeitão e evita embaraços futuros: desliga o intercomunicador quando estiveres no quarto com a criança. SEMPRE!! à custa disso, o meu pai já ouviu o meu marido a proferir comentários sexuais à minha pessoa. e a minha sogra ouviu-me a perguntar ao meu marido quando é que ela ia embora!
Preciosidades!
Beijos e respira fundo!

De Sofia Loves a 08.07.2013 às 19:17

muito bom!!!

De Margarida a 08.07.2013 às 14:29

os da Philips são bons e a pipoca com esta rubrica ate deve ter patrocínios mas os da Angelcare são ainda melhores http :/ angelcarebaby.com /item international-best-video-monitor-with-sensor-pad-ac1100 / aqui tem imagem dia e de noite pode ouvir o bebe e falar com ele e melhor que tudo tem uma placa que se põe debaixo do colchão e que se sentir o bebe a deixar de respirar mais de 20 segundo faz suar um alarme para os pais. mas nada como ver os vídeos de apresentação e fazer a comparação entre dois. felicidades para este ultimo mês que com este calor todo deve estar a ser bem exaustivo.

De Anónimo a 09.07.2013 às 17:09

Não é nada aconselhável, só aumenta a ansiedade nos pais, porque nem sempre funciona correctamente e dá sustos desnecessários. Por outro lado, não evita a morte súbita. Um médico disse-me na altura e se pensarem é verdade, se ele tiver que morrer de morte súbita, não há nada que possamos fazer

De Margarida a 15.07.2013 às 12:08

nunca disse que evitava a morte súbita . conheço duas pessoas que têm este aparelho e não aumenta em nada a ansiedade dos pais. antes pelo contrário, é um descanso para eles. para alem de que o melhor mesmo do aparelho da Angelcare a meu ver está na qualidade da imagem, no facto de se poder ter um controle sobre o bebe poder falar com ele á distancia ouvi-lo e vê-lo a placa de segurança é apenas mais um aparelho para dar descanso aos pais! mas como é obvio não evita morte súbita . mas pode sempre ajudar caso o bebe fique por exemplo engasgado com o leite ou assim os pais poderem fazer qualquer coisa!!

De Simplesmente Ana a 08.07.2013 às 15:34

Para mães neuróticas (não somos todas um bocadinho?), recomendo o Angel Care . É um intercomunicador que também monitoriza a respiração do bebé através de umas placas que se colocam por baixo do colchão. Se algo acontecer, ele apita que nem um louco.

De Cláudia Marques a 08.07.2013 às 15:53

Pipoca,
provavelmente alguém irá oferecer-lhe um intercmunicador todo moderno, mas eu tenho um espectacular, de imagem, que dá para ligar à televisão e gravar a imagem captada e que me custou 300€!! Vendo-o por 100€... Se ninguém lhe oferecer um, olhe, pense nisto! Boa sorte!

De TeresaPereira a 08.07.2013 às 15:54

Eu também tenho um de vídeo mas é da Chicco e são óptimos... agora ela tem 2 anos e meio e ainda utilizo, mesmo quando vou de férias... É um descanso poder ver se eles estão bem, se perderam a chupeta, se caíram da cama... enfim...

Bjs

De cris a 08.07.2013 às 16:25

Pipoca, se fores uma mãe com M (grande), nunca mais dormes um sono profundo, nunca mais vais sossegar ou estar tranquila pois terás um ser humano para cuidar e educar e acredita tarefa de mãe e pai não é nada fácil.eu arrisco a dizer que é o trabalho mais difícil. Acredita mas também o mais lindo e compensa tudo.
Agora se fores daquelas mães que o filho fica semanas com a sogra ou mãe por qualquer coisa há aí sim é muito fácil ser MÃE.

As tuas preocupações são aceinstáveis eu tinha tantos medos até sonhava que me captavam o baby vê la a insegurança, mas depois com o tempo parece que sempre focamos mães.
Bjs
Cristina Africá

De Be mama a 09.07.2013 às 00:36

Aí. Cristina. Que comentário tão retrogrado , e primitivo, nao concordo com nada do que disse, então quem tiver um sono mais profundo é mãe com m pequeno? Lol Ai o fundamentalismo arcaico destas maes

De Patrícia a 09.07.2013 às 13:41


Eu sou Mãe (com M grande) de 3 filhos pequenos e, graças a Deus, durmo profundamente toda a noite, quase todas as noites! :))

De Anónimo a 08.07.2013 às 18:05

Eu tenho o da chicco e assim controlo sempre se está a dormir, facilmente acordo com choro, etc. O da chico tem a vantagem de não ter que se fixar na parede

De Sofia Loves a 08.07.2013 às 19:18

É verdade, nunca mais vais dormir sossegada... sorry!
Mas se o quarto é longe do vosso , um intercomunicador é o ideal, e se tiver imagem melhor ainda!
Bjs

De Ana a 08.07.2013 às 19:31

Boa tarde.
Como já tinha comentado numa outra publicação sobre a Avent, eu tenho o intercomunicador Philips Avent SCD603 e adoro. É ótimo porque tenho 3 filhos e consigo juntar mais 3 câmaras ao intercomunicador para os controlar.
É realmente um descanso tanto durante a noite como durante o dia. A pipoca fez uma boa opção.

Comentar post


Pág. 1/3






Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D