Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A lista #2

por A Pipoca Mais Doce, em 14.07.13

11-Procurarás lembrar-te do quanto gostavas de ir a um restaurante jantar sossegada e de como eram os olhares assassinos que lançavas a crianças birrentas e guinchonas.  Se, por acaso, te calhar na rifa um pequeno selvagem sem modos, fica em casa e acabou-se, até aprender a ser civilizado. E se o levares, ele deitar a barraca abaixo e alguém lhe lançar os tais olhares assassinos... lembra-te, também já estiveste daquele lado. Nada de rosnar.

 

12- Não obrigarás as pessoas a fazerem cálculos mentais de cada vez que te perguntarem que idade tem o puto. Uma coisa é dizeres que tem seis meses, outra é dizeres que tem 32. Também não te referirás à criança como "o bebé" tendo ele já cinco anos. Ou quatro. Ou três. E mesmo com dois, hmmm...

 

13- Tentarás não entrar em conversas competitivas, do género "a sério que o teu Luisinho ainda não tem dentes? Ai, o Mateus, com sete meses e meio já tinha a dentição completa e já comia entrecosto. Mas pronto, ele sempre foi muito desenvolvido para a idade".

 

14- Não usarás a expressão "o MEU Mateus". "Ai, o meu Mateus isto, o meu Mateus aquilo". Nem "o meu menino". Também não andarás em fóruns da internet referindo-te a ele como "o meu M.". Custa assim tanto escrever o nome completo do miúdo?

 

15- Tentarás, até ao limite das tuas forças, adiar ao máximo o uso de iPhones e iPads. Sim, dão muito jeito para os calar, sobretudo à mesa, mas no nosso tempo não havia nada disto e nós também nos calávamos. Saberás que, muito possivelmente, darás por ti a aderir à máxima do "se não podes vencê-los junta-te a eles". E isso é triste, mas diz que é "a evolução dos tempos".

 

16- Não comprarás um presente à criança sempre que for à festa de anos de um amiguinho porque "coitadinho, é para não ficar triste e ressentido". A vida é mesmo assim: cada pessoa só faz anos uma vez por ano e a vez dele também há-de chegar. Até lá, tem que aguentar.

 

17- Do mesmo modo, também tentarás que o puto não receba 48 presentes a cada Natal, só porque "aaaaaaaai, ele fica tão feliz a rasgar os embrulhos".

 

18- Não desenvolverás todo um conjunto de teorias sociológicas sobre o uso das palmadas na educação infantil e como isso pode traumatizar as criancinhas para a eternidade. Também apanhaste umas quantas quando eras miúda e isso não fez de ti uma rebelde que tentou fugir de casa ou que tentou matar os pais aos 17 anos. E se alguém ousar dizer-te "as crianças não se educam com palmadas", põe as mãos nos ouvidos e começa a gritar "lá-lá-lá, não estou a ouvir nada, lá-lá-lá".

 

19- Explicarás ao miúdo que à noite contam-se histórias, não se vêem filmes. E se algum dia ele chegar perto de ti e te disser "não gosto de ler", contarás até 359 antes de começares a preencher os papéis para a adopção.

 

20- Não lhe darás qualquer espécie de liberdade clubística. Ou é do Benfica, ou é do Benfica. Não vai ser fácil, vai sofrer muito ao longo da vida e apanhar desgostos frequentes, mas isso ajuda a formar o carácter.

 

(continua)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:43


51 comentários

De Marta Machado Martins a 15.07.2013 às 00:35

Esta lista é do melhor que já li! Demasiado bom! Ahah

De marta a 15.07.2013 às 00:47

Referente à nº 17: o meu irmão mais novo também era o mimimi lá de casa. Ai era giro a criança abrir embrulhos? Então, vai ter a função de distribuidor de presentes oficial, e de ajudante de desembrulhador de embrulhos. Já fez 20 anos, e ainda temos essa tradição. Infelizmente, também ganhámos aquela de nos referirmos a ele como "o menino"... e ele hoje já tem 90 quilos para 1.90...

De Laissez-Faire a 15.07.2013 às 09:29

Muito boas estas listas. Adorei aquela dos presentes nas festas de aniversário..é por causa dessas atitudes das mães que os putos se tornam mimados e insuportáveis.

De Kátia a 15.07.2013 às 10:41

Simplesmente E-S-P-E-C-T-A-C-U-L-A-R
Amei, perfeito, texto delicioso, realista, factual.
TU ÉS BRILHANTE.
Faço minha as suas palavras, e há coisas insuportáveis como a nº 11, 12, 14, 16, 17 , 18.
Bjs

De Quando me encontrares a 15.07.2013 às 10:42

Nem mais! :)

De BeatrizCM a 15.07.2013 às 12:11

As duas últimas são o máximo! De facto, as crianças devem realmente aprender a gostar de ler desde cedo, que é tããão bom :)

De Vanda a 15.07.2013 às 12:58

...a Máxima nº18 - sou apologista de uma palmada no momento certo. Ainda este fim de semana, eu gravidissima de 31 semanas em pleno shopping com um filho de 4 anos pela mão aos altos berros/choro a dizer que não queria ir para casa. Foi literalmente arrastado até ao carro e pelo caminho ainda levou umas palmadas. Quem e viu e ficou chocado, olha temos peninha. Mais pena tenho eu de ter uma paciência de anjinho com esta barriga e ainda de fazer de super mulher, super mãe e super calma :)

De Anónimo a 15.07.2013 às 16:10

Um comportamento desses já é, por si só, absolutamente inadmissível, mas ainda vir gabar-se disso para a Internet é inqualificável. Para tratar assim um filho é preferível não o ter.

De A Pipoca Mais Doce a 15.07.2013 às 16:15

Ah ah ah! E cá estão os fundamentalistas anti-palmada. Mas porque raio é que é "um comportamento absolutamente inadmissível"? Mas, afinal, quem é a mãe? Do mesmo modo que acha inadmissível uma criança birrenta apanhar uma palmada, também haverá quem ache inadmissível que se fique só a olhar sem fazer nada, usando pretextos como "oh, coitadinho, ele é assim, muito agitado, precisa de extravasar com gritos no supermercado".

De Vanda a 15.07.2013 às 16:29

Pois são estes fundamentalistas que lá no fundo são os piores...em vez de uma palmada dão logo uma tareia.
Uhhhhhhhhhhhhh dei uma palmada ao meu filho sim e agora?! Não vai ser por isso que vai ser uma criança oprimida ou violenta e me queira bater quando envelhecer. Até na escola levei umas reguadas e não foi por isso que andei a atirar cadeiras e a bater em professores. E em casa, também me lembro de umas boas palmadas e amo os meus pais do coração.

Além do mais não me estou a gabar de nada...simplesmente se o "anónimo" não é uma mente aberta nem devia aceder a este tipo de blog e perder o seu rico tempo a lê-lo.

De Anónimo a 15.07.2013 às 21:28

As fundamentalistas da palmada deveriam aceitar uma opinião contrária à sua, principalmente a pipoca que abordou o tema e sabia que existiriam pessoas em desacordo com a sua posição (mas já se sabe que não tolera nem aceita quem não concorda consigo). Se entendem por bem que é com palmadas que devem educar os vossos filhos pois muito bem, façam-no, já que são as "mães". É curioso como quem defende esse tipo de abordagem "educativa" também foi "educado" dessa forma. É nestas alturas que me sinto grata pelo facto de os meus pais nunca me terem educado com recurso a qualquer forma de violência.

(escreve-se "por que raio" e não "porque raio")

De Soneca a 16.07.2013 às 00:38

Eu já bati nos meus filhos e por isso defendo que não se deve bater. Arrependi me sempre e nunca o fiz de forma calculada mas porque perdi a cabeça.
Uma palmada não é um bicho de sete cabeças, nalgumas situações com os meus filhos resolveu a questão mas acredito que outra coisa qualquer também tinha resolvido.
Arrastar uma criança e bater lhe não pode ser motivo de orgulho ou regozijo.

De Juju a 16.07.2013 às 10:52

Não levaste palmada, deve ser por isso que és assim arrogante...ehehehehe
E ainda dá aulas de português gratuita via net....kkk
Deve ser a crise, desculpa mas cá não temos vaga para tal...

De A Pipoca Mais Doce a 16.07.2013 às 15:34

Eu aceito uma opinião contrária à minha, desde que razoável e fundamentada. Já me custa mais a "engolir" opiniões absolultamente extremistas, como vir dizer que"é completamente inadmissível". Como se fosse o dono da razão e como se apenas a sua visão fosse válida. É o tal fundamentalismo de que falei. Que pai é que pode dizer o que é melhor para os filhos dos outros? Nenhum, quer-me parecer. Por isso me parece parvo que alguém venha dizer que é "completamente inadmissível" uma mãe dar uma palmada ao filho num situação pontual. Ninguém aqui defende o espancamento ou o uso das palmadas como método regular de educação, mas sim como algo que pode acontecer de quando em vez, em situações mais extremas.

De Soneca a 16.07.2013 às 00:43

Achas que consegues calar uma criança completamente passada da cabeça com palmadas? O que vais conseguir é fazê lá gritar ainda mais. E sim. Às vezes a solução passa mesmo por ignorar e deixa lá fazer a fita. Por muito que isso nos faça sentir pouco " donos da situação ". E quando ela se acalmar podes aplicar o castigo.

De Louise Hazel a 18.07.2013 às 00:04

Eu acho é que a Pipoca é que merecia umas palmadas, isso sim.

Se precisa de bater para educar, tem que rever os seus conceitos.

Qdo não concorda com o seu marido dá-lhe "tautau"? Pois, a lógica é a mesma...

De susana a 17.07.2013 às 03:59

"Balhamedeuze!!!!" Eu acho que nao li bem!!! E que nao devo ter lido mesmo!!
Deve ser alguem do genero da parva que veio uma vez ter cmg em pleno super mercado dizer me para eu ter calma com a minha filha porque era pequenina.... WTF??? tem 4anos e tava a 30 minutos a torturar me!!! E eu nem lhe bati so lhe agarrei no queixo para a mandar olhar pa mim para ter uma "conversinha" com ela e va, no meio disto vem uma triste e diz me isso.... opahhh que na hora fiquei azul ainda dei dois bitaites e mandei a mulher a fava!! havia de ser giro!!

De Ana a 15.07.2013 às 13:51

Nada como fazer o miúdo sócio do Benfica logo nas primeiras horas de vida. É uma questão de mandar o marido com uma fotografia "tipo passe" tirada com o iPhone à loja do Benfica e fazer o rapaz logo sócio!

Quem raios chama "o meu X" aos putos? Eh pá, hoje é seu, amanhã é da Maria Joaquina quando ele se casar. A minha avó ainda hoje se refere ao meu pai como "o meu menino".. Um homem com 46 anos. Haja paciência.

Ah, uma coisa para essa lista/mandamentos, se assim forem da opinião "não darás palmadas na criança nem armarás peixeirada no supermercado por causa das fitas dele. Chegando a casa acabou-se a Xana Toc Toc e as Chiquititas ou que raio vêem os putos hoje em dia"

Um beijinho e por cá aguardamos notícias sobre o nascimento do bebé mais famoso da blogosfera portuguesa!

De MJ a 15.07.2013 às 14:42

Pipoca, chamo-me Maria João, tenho mais de 30 anos, um bebé a caminho e ainda hoje a minha mãe me trata por "a minha Joãozinha". Sempre que vamos ter com ela, o meu homem diz "anda lá Joãozinha" e só não lhe bato porque a barriga me impede.

Ninguém merece!!!

De Ana Campos a 15.07.2013 às 14:55

Folgo em saber que daqui a umas semanas não vamos ter posts sobre o Baby M. mas sim sobre o Mateus! De onde veio essa moda afinal? Da Gossip Girl?

Comentar post







Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D