Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



As noites...

por A Pipoca Mais Doce, em 06.09.13

Cá em casa, como é sabido, fazemos turnos para aturar adorar a criança à noite. Uma noite fico eu de olho no rebento, na noite seguinte fica o homem. Agora, e para o outro conseguir descansar devidamente,  de vez em quando quem está de turno passa a noite noutro quarto com o miúdo. Foi assim que eu já consegui dormir oito ou dez horas seguidas, um verdadeiro oásis no meio das más noites que temos tido. A nova tendência "noites Outono/Inverno 2013/14" tem sido... não dormir! O Mateus agora lembrou-se que giro, giro é dormir horaaaaaaas e mais horas durante o dia e depois ficar acordado à noite. A chorar, claro. Eu não me importo que ele esteja acordado, a sério que não, e até nem me importo de ficar acordada com ele, a ler, a escrever ou a ver televisão, mas com ele aos berros é impossível. Uma destas noites foi da meia-noite às sete da manhã, outra noite foi das três às dez. Uma alegria. Ora eu, mulher de acção, tratei logo de saber o que é que se podia fazer para inverter o processo. E, uma vez mais, entrou em acção a minha querida Constança, do Espaço Cegonha. Liguei-lhe e ela lá me disse que, apesar de ter só sete semanas, talvez já pudéssemos começar a tentar estabelecer uma rotina de sono para o Mateus seguir diariamente. Como nessa noite era eu a estar de turno, pus logo em prática os ensinamentos: banho às oito e meia, biberão no quarto, já às escuras e com uma música de fundo ou white noise, embalar um bocadinho e... cama! Foi espectacular. Rabujou uns minutos mas adormeceu sozinho em menos de nada (fui para a sala e fiquei a controlá-lo com a câmara do intercomunicador) e só acordou por volta da uma, para comer. Dei-lhe o biberão e voltou (voltámos) a dormir até às seis da manhã, altura em que acordou para nova refeição. Não houve gritos, nem choros, nem horas a fio acordado. Foi a chamada noite santa. No dia a seguir, tentámos repetir, mas já não correu tão bem. O miúdo foi acometido de um mega ataque de cólicas que fez com que berrasse das onze às quatro da manhã. O meu homem, que estava de turno, diz que tentou tudo e mais um par de botas, sem sucesso. E, claro, queixou-se que só nas noites dele é que o Mateus apronta. Não é verdade, eu também já tive noites do demónio. A diferença é que quando isso acontece tento logo perceber o que correu mal para garantir que para a próxima corre melhor. Não papo grupos (linda expressão). Por isso, ontem lá fomos nós em missão SOS para o Espaço Cegonha, onde a Constança nos explicou mais algumas técnicas para garantir um sono angelical. E esta noite pequeno Mati voltou a portar-se lindamente, só acordou para comer e, alegria das alegrias, sem berros nem choros. Estou muito apostada nesta coisa de estabelecer rotinas e tentar cumpri-las, acredito que é meio caminho andado para o Mateus começar a diferenciar o dia a noite e perceber quando é que é para dormir e quando é que é para a rambóia!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06


54 comentários

De Anónimo a 17.09.2013 às 10:17

Realmente essa Susana NAO QUER entender o que a pipoca escreveu, a Susana é daquelas pessoas que apenas gosta de criticar, sem nunca ter intenção de criticar construtivamente, infelizmente apenas se auto valoriza... o que chega a ser irritante para quem está a ler e com todo o interesse no tema, como uma partilha de experiências, boas ou más, consoante o caso.

M. Carla

De A. a 17.09.2013 às 12:54

Obrigada por todos os desabafos e experiencias que partilha neste blog.
Ainda nao sou mae, mas espero que esteja para breve. E apesar de querer muito ter um rebento, tenho tanto de vontade como de medo.
A minha mae criou-me sempre com a ajuda dos meus avos, por isso acabou por ser quase uma irma mais velha, coisa de que nao me queixo, aprendi a lidar com essa situacao muito cedo. Da parte do meu marido, posso apenas dizer que a minha sogra apenas vai servir para assinalar \"what not to do\".
O facto de vivermos no estrangeiro ainda alimenta mais este receio, porque estamos longe do maior suporte com que poderiamos contar, a minha familia e amigos.
Sem querer fazer este comentario parecer o muro das lamentacoes. O seu blog e uma verdadeira lufada de ar fresco. E normal ter receios, errar. E acredito que um dia vou pensar, deixa ca ver o que a Pipoca aconselhou nesta situacao.

Muitas felicidades Pipoca.
Um grande beijinho,
A.

De barbara a 17.09.2013 às 15:02

Comigo (melhor dito, com o meu filho) foi o que me funcionou: as rotinas. Banho, jantar e cama à mesma hora, ou mais ou menos à mesma hora. Mas há que ser constante, o que impede ir jantar fora com a criança e esse tipo de coisas. A não ser excepcionalmente, claro. Mas não dois ou três dias seguidos..
A parte boa é que quando se habituam, chega à hora de dormir e já estão relaxados, já querem dormir porque o corpo já se habituou e lhes pede para dormir. O meu filho agora tem quase 3 anos e as 21h, 21.30 já pede para ir para a cama. Nós começamos quando ele era bem pequenino , teria uns 2 meses, e custou-lhe, más depois era fazer a rotina banho-biberao-berço e adormecer rapidamente. Normalmente fazíamos banho as 19.30, banho as 20 e cama às 20.30, excepto em dias especiais. E dormia até às 7.30, 8h. Vale a pena!

De barbara a 17.09.2013 às 15:09

Ah! E eu também li e segui o livro da Gina Ford. Adapteio-o a nós, que tem coisas muito exageradas, mas segui muitas coisas como dar-lhe de comer de x de x horas, não deixar dormir de dia mais de x horas seguidas, estabelecer uma rotina ao deitar... Recomendo!

De Sónia a 05.01.2014 às 19:40

Boa noite. E quem não QUER ser mãe nem pai? Pode-se? Ou temos de responder que é pq não temos ovários e tal e tal? Só esta para reflexão. :-)Sim, é que em pleno século XXI ainda ouvir "sim tenho 40 anos mas claro que vou ser mãe, porque sou uma mulher!" ou" O quê? 40 anos e não tem filhos? Não me diga que não quer ter filhos!!!É que uma mulher com a sua idade tem de ter filhos!!!" Ah, pois e se uma pessoa é anti-palmada, óbvio que lá vem a resposta que é porque não temos filhos. Ah, pois não tenho nem terei porque não quero, não me apetece e,olhando à minha volta, é o que muita gentinha devia ter feito: não os ter tido! Pois, mas depois vem outra : deixa lá, que é mesmo assim: miséria puxa miséria. Óh my god! :-

Comentar post


Pág. 4/4






Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D