Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



As noites andavam espectaculares

por A Pipoca Mais Doce, em 08.09.14

Quer dizer, nunca foram brilhantes, temos sempre direito a ser acordados pelo menos uma vez para lhe pôr a chucha, mas houve aí umas quantas noites em que dormiu das nove às nove e quase nos ajoelhámos e agradecemos aos céus. Foi sol de pouca dura e passámos de um extremo ao outro. Uma fita desgraçada para adormecer, outra fita enorme para ficar na cama. Hoje foi uma luta de uma hora e meia para o adormecer. Quer dizer, ele adormeceu bem, no colo. Estava a dormir profundamente até o pôr na cama. Acordou de imediato e virou fera. Era ele a pôr-se de pé na cama, agarrado às grades, e eu a deitá-lo novamente. Repetimos esta brincadeira umas 30 vezes, sem exagero, mas eu estava decidida a não ceder e a não o tirar da cama. Lá adormeceu, com umas festinhas, acho que vencido pelo cansaço, mas não dou muito tempo para acordar novamente aos berros. Ainda tive de ficar no quarto uma boa meia-hora até ele estar a dormir profundamente, porque a cada tentativa que eu fazia para me escapulir lá começava eu a berrar. Sacana, como é que sem me ver ele consegue sentir a minha presença? Espectacular. O grande drama destas coisas é nunca saber se estamos a fazer o mais correcto. Eu, pelo menos, não sei. Sobretudo quando não tenho uma estratégia bem definida e que siga sempre. Há dias em que não o tiro da cama, há outros em que sim, há dias em que deixo chorar mais, há dias em que acudo ao mínimo "ai", há dias em que o trago para a minha cama, há dias em que vou com ele para o quarto de hóspedes... enfim, a verdade é que não consigo agarrar-me a uma só estratégia. Depende das noites, depende do meu estado de cansaço, depende dos nervos dele e da necessidade de mimo e de conforto. Leio os livros, ouço pessoas mais experientes, mas acabo sempre por fazer o que me parece mais sensato na altura. Há quem me diga que não posso vacilar, sob pena de estar a criar um monstro, há quem me diga que tenho de lhe dar colo e mimo sempre, para ele perceber que a mãe não fugiu, há tantas teses que eu tento escutar (quase) todas e depois descortinar a que melhor se aplica a mim e ao meu bebé. Falam-me sempre de instinto, mas eu não sei se o meu é sempre fiável. Porque quero criar um miúdo seguro e independente, mas também não lhe quero falhar sempre que ele precisar mais de colo ou de mimo. Não é para isso que servem as mães? E esse colo sempre disponível vai torná-lo mais confiante ou, pelo contrário, mais dependente? Dúvidas, dúvidas. Vou procurando o meu ponto de equilíbrio, uns dias cedendo mais aqui, noutros sendo mais intransigente ali. Gostava de ter a certeza de estar a fazer um bom trabalho, mas às vezes bate a dúvida. Olho para o Mateus e tenho a certeza que é um menino feliz e muito amado, e que isso é o que realmente importa, mas sei lá.. há sempre dúvidas. E o pior é que sei que vai ser assim para sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16


50 comentários

De Carla a 13.09.2014 às 16:33

Cara Pipoca, os nossos filhos diferem 20 dias. Acompanho este blog porque creio que eles sempre tiveram manias, ops, fases muito parecidas. O meu passa pelo mesmo. Ontem foram mais de 2 horas para o adormecer. Há dias em que a coisas até corre bem. Outros não. Dizem os entendidos que é normal, que eles estão numa fase de tanta descoberta que não querem perder tempo a ficar deitado. Especialmente quando estão em vésperas de começar a andar. Que é uma fase, etc. . . .
Concordo com a teoria da rotina. Faz sentido. Ficam a saber que depois daquela sequência de ações vão dormir. Tento fazer -lavar os dentinhos, ler um pouco (quer sempre a mesma página), colinho, cama e ficar ali um pouco. Mas tal como a Pipoca nem sempre corre bem, nem sempre o nosso dia, e já agora o dele, correu bem, nem sempre a paciência é a mesma. Mas vejo que me "afastei" do plano e depois tento corrigir e voltar à rotina estabelecida.
Acho-a uma mãe extremamente honesta, siga o seu instinto, é bom. Estabeleça o seu plano e tente mete-lo em prática. E acredite em si, afinal é a melhor mãe do mundo para o texuguinho.

De Juanna a 18.09.2014 às 09:32

Acho que estás a fazer lindamente. Cada puto tem as suas manias, cada mãe/pai tem o seu cansaço ou energia, cada caso é um caso, cada dia é diferente do outro.

De Alice a 18.09.2014 às 23:18

Olá Ana
Não se preocupe em ler livros, ouvir opiniões mas sim, seguir o que manda o seu coração. O meu filho dormiu connosco durante vários anos pois era a única forma de ele e nós conseguirmos descansar. Não conseguia passar noites de um quarto para o outro nem de o ouvir chorar pois não conseguia explicar a uma criança tão pequena que tinha que ficar só. Deixou a nossa cama por livre e expontânea vontade e hoje é um adulto seguro, sem traumas, nada menino dos papás embora muito ligado a nós por afetos, educado e sem medos. Por isso não se culpe e continue a fazer aquilo que a a tranquiliza a si e ao Mateus.

De Joana Santiago a 13.10.2014 às 11:39

Pipoca, embora te siga á muito quer aqui quer na "casa mãe", é a primeira vez que te comento.

Só tenho 2 palavras: GINA FORD.
Tenho um bebé de 5 meses que é um relógio desde as 2 semanas de vida, que foram infernais. Tenho sorte? Não! Tive foi tomates para aplicar o método que toda a gente achava "violento".

Tenho um bébé feliz, estou feliz, o meu marido também, dormimos todos noites inteiras e isso não tem preço para ninguém. Bébés e pais.

O mesmo conselho que deixo a todas as mães...

De Lara a 19.11.2014 às 08:05

Olá Ana, comigo acontece precisamente o mesmo e o Salvador fez agora 3. Há dias em que adormece sozinho na cama dele e fica lá sem se levantar, normalmente quando está muito cansado. Há dias em que o ponho na cama e passado nem 2 minutos já saiu e pede para dormir comigo, como aconteceu ontem. A minha estratégia é diferente todos os dias. Adorava que ele dormisse feliz e contente na sua cama todas as noites, mas infelizmente não é isso que acontece. Mas é uma criança feliz e amada e no fim do dia, para mim, isso é o mais importante. Devemos ouvir o conselho dos outros mas seguir o nosso instinto e é isso que faço. Esforço-me por ser a melhor Mãe para o meu filho e para mim isso é o importante. Bisous*

De Ana Martins a 10.12.2014 às 19:08

Olá Ana!
O meu nome é Ana Martins e fui mãe de gémeos (da Ema e do Max) no dia 18 de Julho deste ano. Cruzei-me com o teu blog uma noite destas, por volta das duas da manhã, quando pesquisava comentários sobre uma máquina da Avent, no iPad escondida debaixo do edredão para não acordar o Max com a luz mínima!! Este lingrinhas tem o sono leve como tal como a mãe.
Queria apenas partilhar contigo que acabei por ler uma catrefada de posts de enfiada, sobre os reports do crescimento do Mateus, e que me identifiquei muito com algumas das tuas experiências, até mesmo durante a gravidez.
Ser mãe de gémeos é uma aventura incrível. Uma aventura muito feliz até ao momento. E lá vou eu que um deles já chama!!
Até breve!

Comentar post


Pág. 4/4






Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D