Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



De volta às más noites

por A Pipoca Mais Doce, em 07.02.14

Quando o Mateus começou a dormir noites inteirinhas, das nove da noite às nove da manhã, eu até tinha medo de o dizer alto. Ainda assim, sempre que o dizia, acrescentava sempre "ah, mas isto deve ser só uma fase", já a preparar-me para o pior. A verdade é que depois de saber o que é dormir uma noite inteirinha custa voltar à estaca zero. Ou à estaca um, vá. Voltámos à fase em que o Mateus dorme lindamente a primeira metade da noite (aí entre as nove e as três da manhã) e depois acorda e não há quem o adormeça. Quer dizer, ao fim de duas horas acaba por adormecer-  depois de palrar, gritar, chorar, dormir três segundos e acordar aos berros - mas aí já nós perdemos uma boa parte de sono (e alguns anos de vida). Sacana. Assim que a câmara dá sinal, às três e pouco da manhã, já sei que começa o Carnaval. Vou lá, ponho a chucha, volto para a cama, vou lá, ponho a chucha, volto para a cama, vai lá o pai, põe a chucha, volta para a cama, e ao fim de fazermos isto 23 vezes e nem assim ele adormecer, acabamos por o trazer para a nossa cama e pronto, é remédio santo. Já vacilámos duas vezes. Diz a minha querida Constança que isso não cria habituação, mas eu tenho para mim que estamos a criar um monstro. E não quero. Começo a imaginá-lo com 14 anos a dormir entre nós e penso que temos de cortar desde já o mal pela raíz. Mas há noites em que não é fácil. Já fiquei no quarto dele uma hora, a abanar-lhe a cama até que ele adormecesse, mas nem sempre tenho essa resistência e paciência. Ao fim de nos levantarmos 300 mil vezes, desistimos e pronto. Diz a Constança que ele quer o nosso contacto, e isso já eu percebi. Manhoso. Ora se não tem cocó, se não tem frio, se não tem fome, se não tem nada, só pode mesmo ter uma grande carga de manhosice em cima. Depois de termos passado uma fase óptima nesta casa, em que ele dormia a noite toda e nós também, agora parece que voltámos aos primeiros tempos, em que o Mateus resistia estoicamente e era capaz de ficar cinco ou seis horas acordado. Bem, agora não é assim tão mau, também não exageremos, é verdade que ele acorda muito menos, mas enerva-me muito esta coisa de nunca saber como vai ser a noite. Não gosto da imprevisiblidade. Quando dormia no nosso quarto corria tudo às mil maravilhas, passou para o quarto dele e é isto que se vê. Hoje alterei-lhe a rotina, para ver se muda alguma coisa. Em vez de ser banho, jantar e cama, hoje experimentámos dar-lhe o jantar primeiro, deixá-lo estar acordado um bocado, dar-lhe banho, dar-lhe um biberão e enfiá-lo na cama. Pu-lo lá ainda acordado, resmungou três minutos e acabou por adormecer. E eu aqui estou, em estado de alerta e ligeiramente ansiosa, porque acho que daqui a duas ou três horas ele vai acordar e temos o caldo entornado. E o pior é que basta eu ter de me levantar para lhe pôr a chucha uma vez que depois já não consigo voltar a adormecer. Se me levanto, está tudo estragadinho. Lá vou eu para debaixo do edredon com o iPad,  ver episódios da novela, escrever, divagar no Facebook, e assim se passam umas duas horas até adormecer de novo. Enfim. Deixa-me mas é ir dormir, que não tarda são três da manhã.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00


83 comentários

De Ana a 12.02.2014 às 13:24

O meu filho tem 11 meses e o máximo de tempo que dormiu seguido foram 5 horas (uma única vez) - nem queriamos acreditar, parecia que tinhamos dormido 18 horas!
Mas - e para ver que não é a única e não temer - dorme na nossa cama... depois de diversas tentativas esta foi a única forma que encontrámos de todos dormirmos o menos mal possível!
Lá para os 18 anos deles deve haver esperança de uma vida noturna normal nós! Eu acredito!

De Mel a 12.02.2014 às 22:35

Uma pergunta aos que têm filhos com mais de, vá, 3 anos a dormir na sua cama/quarto: têm relações sexuais com os vossos maridos/companheiros?




É que isso não tem que acontecer à noite nem na cama, mas dada a escassez de tempo e exposição dos demais locais (que neste casos é idêntica à do quarto), acaba por se fazer bastante no quarto. Ou, afinal, não.

De Maria Inês Siza a 19.02.2014 às 17:43

Olá Pipoca!
Acompanho sempre com um sorriso os seus posts sobre o Mateus! Revejo-me em tantos deles que é impossível não continuar a ler! Mas talvez seja comum a todas as que somos mães. Não sei se ajuda mas eu tinha um problema gigante com o sono do meu Vicente. Esperei até aos 17 meses que todas (mesmo TODAS) as "fases" passassem! Estava sempre a contar que ele ia apanhar o ritmo e isso nunca acontecia. Dei por mim um ano e meio depois com mão enregelada pendurada no berço do meu filho (só dormia agarrado a ela) e comigo no chão às 3h da manhã e pela 7ª vez nessa noite a pensar que isto não podia continuar. Procurei ajuda e resultou! Não quero que pense que é "publicidade" mas de facto queria partilhar consigo porque salvou-me a vida e o meu relacionamento....com o marido e com o filho. :-)
Quem me ajudou chama-se Filipa Fernandes e trabalha na Clínica da Mãe e da Criança. Tem página no facebook: Sleepy Time - Especialista do Sono. Se quiser, dê uma espreitadela Beijinhos e boa sorte com o pequeno "texugo". AH! E BOAS FÉRIAS!!!

De Teresa Sousa a 24.04.2014 às 12:23

Olá! :) Se entender que precisa de ajuda com o sono do seu bebé ou gostaria de saber mais sobre esta área, gostaria de partilhar consigo a minha página:
https://www.facebook.com/PsicologaTeresaSousaSonobebe
beijinhos
Teresa

Comentar post


Pág. 6/6






Digam-nos coisas

apipocamaisdois@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D